22 janeiro 2013

Da qualidade

Não gosto da Inês Pereira. Os cabeleireiros dos shoppings. Não vou rebaixá-los, vou só contar a minha experiência. Liguei para um dos cabeleireiros a marcar hora, para não me atrasar. Chego lá à hora marcada e dizem-me que tenho de esperar uns minutos. Hã? 'Está com pressa?' 'Claro, senão não tinha marcado.' 'Ahm, mas a menina que está a ser atendida veio fazer um tratamento e quem marcou não sabia e vou demorar mais uns minutos. 30 minutos no mínimo.' 'Pois, mas eu não posso esperar. Muito obrigada e até à proxima.' Logo aqui não fiquei muito bem impressionada. Então eu marco hora e depois tenho de esperar meia hora para ser atendida? Não tenho culpa de a pessoa que estava a marcar se ter enganado. Bem, decido então ir a correr ao shopping e ver se ainda conseguia cortar o cabelo. Estava pouca gente, fui logo atendida. A moça que me cortou o cabelo até era simpática, mas parecia que estava com medo de cortar. Eu disse várias vezes que não tivesse medo e que cortasse o que fosse preciso. Mas ela dizia 'Eu não posso cortar tudo' e eu pensava 'Mas não podes porquê? A tesoura não funciona? Tens os dedinhos partidos?'. Resumindo, não cortou nada como eu quis. Cheguei ao esccritório e ainda tive de dar umas tesouradas para ver se ficava mais ao meu gosto. No fim de semana vou ter de ir a um bom cabeleireiro fazer o corte final. Mas isto tudo para dizer que não fiquei com muito boa impressão destes cabeleireiros e que só tenciono lá voltar em caso de grande necessidade/obsessão.

2 comentários:

Suri disse...

Novatas ;)

cantinho disse...

Penso que só fui uma vez a um cabeleireiro de shopping.
Não me dizem nada, estes.

utilizadores online