05 novembro 2012

Da acção

Não gosto do Skyfall, o novo filme do James Bond. Não é não gosto em absoluto. O filme é um 007 e eu sou grande fã dele, por isso eu ia gostar sempre, nem que ele passasse o filme todo a rebolar-se em trampa (faz de conta). Mas há coisas que me desiludiram. Primeiro, como hoje em dia acontece em quase todos os filmes de acção, as cenas de acção do trailer são apenas e só as cenas de acção do filme. Ou seja, se virmos o trailer, cobrimos todas as cenas de acção que valem a pena ver no filme. Para um 007, mais ainda do que para outros filmes, isso não é muito bom. Porque do 007 espera-se que ande sempre a perseguir os maus, a tentar acabar com o mal no mundo, non-stop, e este 007 esteve mais parado, no geral. Temos também a questão dos gadgets. Como apreciadora destes filmes, acho que os gadgets é que lhes dão a aura de filmes de super-espião. Não é preciso ter um carro invisível (isso pode ter sido um pouco demais), mas uma caneta ou um relógio que explode dão sempre o seu charme. As duas Bond girls são muito fraquinhas e o seu tempo em cena é muito breve. O vilão também não surpreendeu. E depois, o que me incomodou mais, as questões de continuidade em relação aos filmes anteriores estão cheias de plot holes. Ou fui eu que não percebi ou há imensas coisas que não fazem sentido e outras que me suscitam dúvidas. Estou um bocado obcecada com esta situação, mas este filme não faz qualquer sentido em questão de sequência temporal com os outros filmes. Há demasiadas incoerências. SPOILER ALERT: Se a M morre, e a Moneypenny começou agora o seu trabalho de secretária, como é que nos filmes do Pierce Brosnan elas convivem as duas? Este Q é anterior ou posterior ao outro mais velho dos filmes anteriores? Ou é o mesmo, quando era mais novo? O Casino Royale era uma prequela dos outros filmes todos, como o Bond se tornou um 00; o Quantum of Solace era passado a seguir a esse, pois ainda falavam da Vesper; este é quando?

8 comentários:

nemsabesnoquetemetes disse...

Esta Moneypenny é outra Moneypenny, tal como o Q é um novo Q e o M é um novo M depois da anterior morrer. Tudo nomens de código.

O Casino Royale era o início DESTE Bond. Cada Bond é um novo agente, James Bond é também ele um nome de código para o agente 007... Portanto o Casino Royale foi mesmo início deste Bond, não da personagem em si.

E discordo, o filme está muito bom. Menos tiros e bombas, mais argumento.

Maat disse...

não não não. nada disso. o nome de código é 007, que designa o sétimo agente 00, ou seja, com licença pra matar. o agente 007 chama-se James Bond, é o nome próprio dele. é o comandante James Bond. M é um nome de código, que designa o chefe do MI6, que já foi um homem, nos filmes mais antigos, depois a Judi Dench e agora será o Ralph Fiennes. Moneypenny penso que não é nome de código, é o nome dela, Eve Moneypenny, por isso não faz sentido que sejam Moneypennys diferentes em cada filme. as personagens são sempre as mesmas, de filme para filme, apesar de mudar de actor (excepto no caso do/a M, que realmente muda de actor e de personagem).
o Casino Royale é o início do James Bond, como agente secreto. O James Bond é sempre o mesmo agente, apesar de usarem actores diferentes.
e as minhas dúvidas continuam a atormentar-me.

Never Told Words disse...

Eu ando há dois fins de semana para ver o filme e apanho sempre as salas esgotadas! E tenho lido criticas de quem gostou e de quem ficou desiludido...

nemsabesnoquetemetes disse...

Isso segundo a estruturação clássica, realmente o 007 significa o sétimo agente com licença para matar. Mas na adaptação ao cinema e para efeitos comerciais, isso é impossível num franchising tão longo... Daí eu achar que hoje em dia se subentende essa substituição nos próprios filmes, mesmo que não seja assumida. Porque por essa ordem de ideias, o Skyfall teria que ser uma das primeiras histórias da saga (porque é introduzida a Moneypenny) - o que não faz sentido visto já ter aparecido em filmes cronologicamente mais recentes, já fora da autoria de Fleming.

Percebo a tua confusão, e é natural quando se tenta levar uma sequência lógica e cronológica dos filmes. Acho que o teu erro está a ser esse, visto que essa lógica já há muito foi abandonada, e a inconsistência já vem de longe, não apenas do Skyfall.

Maat disse...

sim, se formos a ver bem, há mais inconsistências, se bem que menores do que neste filme. por exemplo, no The World Is Not Enough introduziram o John Cleese como R, que seria o ajudante do Q, uma vez que este já era velho e previam a possibilidade de ele não vir a entrar em mais nenhum filme da saga. no filme seguinte, o Die Another Day, o John Cleese transforma-se em Q e o R desaparece!

se calhar o melhor é seguir o teu conselho e deixar de tentar arranjar uma sequência lógica nos filmes e ignorar os plot holes.

Rui Pi disse...

Também fiquei confuso com a Moneypenny. Mas pronto, esta gente comenta e eu fico logo esclarecido. Não há seguimento, portanto. É sempre mais fácil, de facto!

nemsabesnoquetemetes disse...

É a minha opinião, Rui Pi. Se quiseres tentar explicar o enredo be my guest... ;)

RCA disse...

Se eu quisesse enredo e profundidade de personagens não ia ver um 007. Estou com Maat. Eu quero é porrada, tiros, explosões, gatas e tudo feito com uma certa fleuma.

Este skyfall é uma palhaçada a armar em intelectual.

utilizadores online