09 março 2012

Do endividamento

Não gosto de pessoas que se endividam para ir de férias. É a maior estupidez de sempre. Quem me dera poder expatriar essas pessoas, para não mais voltarem a Portugal. Por favor, quem é que pede créditos para ir de férias? Queridos, se não têm dinheiro, não vão a lado nenhum. Depois é muito bom andarem tirar do ordenado todos os meses não sei quantos Euros para pagarem a viagem que fizeram há não sei quanto tempo, da qual já nem o bronzeado ficou, não é? Pessoas, vamos pensar bem na situação actual e reflectir bem e ver se isso é uma atitude decente a tomar. E mesmo que nem estivéssemos em crise, é estúpido. Eu também gosto muito de viajar, mas se não tenho dinheiro, não vou. É triste, mas é a vida, não se pode ter tudo. Para além dos créditos, também me faz alguma confusão quem estoura todo o dinheiro que poupou. Ok, não pedem créditos, já é bom, o dinheiro é de cada um e cada um sabe de si. Mas eu não faria isso. Sempre fui ensinada a poupar para uma eventualidade, uma emergência. E não ia de certeza gastar esse dinheiro em férias. Imagino sempre que depois ia ter uma doença terminal e ia precisar de uma operação e se estivesse à espera de ser atendida nos hospitais públicos morria entretanto, por isso tinha de ter dinheiro para ser operada num privado. Eu podia agora entrar no discurso de que é por estas coisas que estamos na situação em que estamos, mas quem sou eu para dar lições de moral. Eu sei de mim, posso opinar sobre os outros, mas lá está, cada um sabe de si e faz o que quer, por mais estúpido que seja. Só para finalizar, que o post já vai longo, mas ainda relacionado com a temática, gosto sempre de recordar uma situação inesquecível, em que eu estava na Media Markt e vi uma família, com ar de pobres (sim, estou a ser preconceituosa) e que estavam lá no cubículo a pedir um crédito para comprar uma PSP para o puto ranhoso, uma máquina fotográfica e um telemóvel touch (na altura ainda não eram tão vulgares e baratos como hoje). Tudo bens essenciais, como sabemos, sem os quais a sua sobrevivência poderia ser posta em causa... E fiquei apenas com pena dessas pessoas.

6 comentários:

Anónimo disse...

Muito bem... concordo P

Peixe Azul disse...

E aqueles que pedem aqui para pagar o que devem ali? Há gente do caraças...

VdeAlmeida disse...

Pois olha, eu se tivesse uma doença terminal, gastava todo o dinheiro que tivesse, não precisava de poupar mais.
Agora a sério, não me refiro às férias, que como tu também me parece uma imbecilidade uma pessoa pedir um crédito para fazer uma, mas em relação aos outros créditos, as pessoas são autênticamente assediadas por instituições de crédito e pelas lojas para os fazerem e nem todos conseguem resistir ao canto da sereia.
É como aqueles cartões de crédito que eles "oferecem" nos centros comerciais, e que só falta meterem o cartão no bolso de uma pessoa. Aquilo é uma espécie de conto do vigário. As pessoas não resistem, depois usam-nos e no fim não conseguem pagar. Depois recebem telefonemas ameaçadores e por aí fora.
Eu acho é que devia ser regulamentado com mais rigor o acesso ao crédto, e esses tipos dos cartões de crédto, proibidos de os fornecer fora de uma instituição bancária.

Anónimo disse...

as prostitutas fazem o mesmo e não é por causa disso que vou lá.

autênticamente

Jibóia Cega disse...

Era mandá-las de férias para sempre :)

B.L. disse...

Concordo em absoluto. É uma parvoíce: as pessoas são idiotas, parvas e, perdoem-me se firo susceptibilidades, meio burras. Não é tão difícil resistir ao "cântico da sereia": é fácil perceber que se não se tem dinheiro, não se vai comprar um telemóvel xpto só porque sim. Percebo que se peça crédito para coisas necessárias; agora para outras coisas... É simplesmente ridículo. E ridícula é também a oferta, que também deveria ser muito mais regulamentada.

utilizadores online