04 novembro 2011

Da condução II

Não gosto de velhinhos a conduzir. Tenho uma teoria: os velhinhos acham que, pela sua longevidade, têm prioridade (como nos autocarros e supermercados e outros que tais) e, como tal, podem fazer tudo. E sem avisar! Não é estranho vermos um carro estacionado, com um velhinho ao volante, que, sem que nós o prevíssemos, sai do estacionamento, sem dar pisca ou sem olhar para ver se vem algum carro. Lá está, a prioridade que eles estão habituados a ter. É normal também vermos velhinhos a andar na auto-estrada a 40 km/h ou em localidades a 10 km/h. Apesar de estas velocidade serem proibidas por lei, o estatuto que os velhinhos alcançaram permite-lhes circular como bem lhes apetecer. A minha sugestão é que os veículos pertencentes a velhinhos tenham um dístico que os identifique e que permita aos restantes condutores cederem-lhes sempre prioridade. Todos os carros conduzidos por velhinhos deveriam ter atrás um autocolante que dissesse 'Sénior - Vale tudo'.

7 comentários:

Aflito disse...

Não precisam de dístico.

São aqueles pequeninos com ar ridículo.
E um gajo de chapéu lá dentro.

Maat disse...

pois é, têm sempre um chapéu! mesmo quando não está a chover.

mfc disse...

Por vezes são mesmo uns encrencas!

goncalofortes disse...

Faltou referir o facto de que culpam os jovens por todas as asneiras que eles próprios façam. E neste contexto acho que se poderia chamar algo mais agressivo que "velhinhos"!

Maria Flausina disse...

HAHAHAHA! Ainda bem que eu comentei o post anterior sem ter lido este!

Anónimo disse...

É esperar 40 anos a ver se as opinião muda

Isabel disse...

Às vezes vejo cada coisa e fico a pensar que deve ser uma mulher! E é. Ou mulher ou velhino.

utilizadores online