05 julho 2011

Do pânico

Não gosto de aranhas. Sinto uma repulsa enorme por estes bichos e fico histérica quando vejo uma. Nem que seja pequena, fico descontrolada. Ultimamente ando a tentar controlar-me, não desatar aos berros e a chamar pela minha mãe sempre que vejo uma. Tento respirar, racionalizar e ir buscar qualquer coisa rapidamente para a matar, antes que desapareça. Hoje quando vi uma aranha pequenina na banheira, portei-me muito bem. Controlei o grito, fui calmamente buscar um chinelo, esmaguei-a com toda a força (apesar de não ter mais de 2 mm) e depois lavei a sola do chinelo. Tudo sem berrar ou entrar em hiperventilação. Acho que mereço uma prenda.

5 comentários:

Pusinko disse...

Morei com uma miuda que as aspirava por causa do pavor que lhes tinha, nao conseguia chegar mais perto de forma voluntária.
A mim nao causam grande espiga, mas entendo que sao capazes de enervar facilmente a maioria das pessoas.

Alice disse...

eu não tenho medo de aranhas, mato-as simplesmente.

já de osgas e de ratos, ai, ai, pânico!!

*

Aflito disse...

Eu é mais de búfalos.

E o búfalo é um bicho tramado.
Em antes porque é fácil passar despercebido num quarto ou numa casa de banho.
E depois porque é um bicho mais resistente e bem mais difícil de matar do que as aranhas. E os insectos em geral. (Agora há-de vir algum intelectual dizer: ah, mas as aranhas não são insectos! Ao que eu respondo: Ah e tal,mas eu conheci uma vez um gajo na Brandoa que nasceu com 3 braços e não deixa de ser uma pessoa como as outras! Mas na realidade acho que diziam isso só para ele não se sentir mal. Tipo dizer "o" Cláudio Ramos!)

Principalmente com o método do chinelo.
Acreditem. Alguma vez tentaram matar um búfalo à chinelada?
É coisa para demorar algum tempo.

E depois, como quando se mata uma melga daquelas bem gordas toda enfrascadinha de sangue fresco, deixa uma mancha de sangue brutal
que é fodida de tirar com a ponta do guardanapo e cuspo.

A não ser que seja daquele cuspo que um gajo tem quando acorda mesmo fixe e saudável e com vontade de viver a vida.
Não é daquele que temos quando acordamos todos ressacados - porque no dia anterior tivemos 5 horas a mamar finos e a enfardar caracóis (ou mamar imperiais e comer caracóis, para os puristas lisboetas).
Não, porque esse (o segundo tipo de cuspo) é seco e é fodido de segregar [aqui foi uma excelente oportunidade de escrever a palavra segregar porque tenho para mim que, para além de fazer um gajo parecer buédesda inteligente, não se deve usar só com os pretos]. E também tenho para mim que se alguma coisa é fodida de segregar é porque deus não quer que ela seja segregada. E se deus quer, não há nada a fazer.

Deus quis que os delfins existissem e não pudemos fazer nada contra isso.
E os búfalos também.

Maat disse...

mas Deus também quis que os delfins acabassem. e eles acabaram. depois de muito tempo de ameaças, finalmente... o fim.

Ventania disse...

Acho que vou deixar de ler-te durante uns dias. Fiquei triste, pá. Matar aranhas? Mas que mal é que os bichos fazem? Para além de serem uma das maiores genialidades da Mãe Ana Teresa (aka Natureza), ainda ajudam a proteger-nos das parvas das melgas, essas sim umas sanguinárias. Não gostas delas, tudo bem, agarras numa folha de papel para elas apanharem boleia e sopras pela janela ou para quintal/floreirawhatever. Estou muito, muito triste contigo. =(

utilizadores online