07 julho 2011

Da gratificação

Não gosto de deixar gorjetas. Sempre que vou a algum restaurante, parece a encenação daquela conhecida cena do Reservoir Dogs. Eu a dizer que sou contra gorjetas, os outros a dizerem que é de bom tom deixar gorjeta. Isto faz-me um bocado de confusão por dois motivos. Um, porque é quase obrigatório deixar gorjeta e os empregados ficam muito aborrecidos quando não deixamos, e sem razão nenhuma, porque isso não está estabelecido em lado nenhum, que eu saiba. Dois, porque também ninguém me deixa gorjeta por fazer o meu trabalho. Era bom que cada vez que faço uma tradução viesse aqui o meu patrão ou os meus colegas e me deixassem 1€ no meu mealheiro. Confesso que já deixei algumas vezes, quando acho que o empregado foi simpático e nos atendeu realmente bem. De resto, não deixo, sendo no entanto vulgar o meu namorado ter vergonha e deixar na mesma, do bolso dele, mesmo eu sendo contra. Mas porque é que temos de deixar gorjeta? Alguém me dê uma boa razão.

5 comentários:

purpurina disse...

porque só os salários baixos e injustos que os empregados de mesa e pessoal da cozinha recebem é que fazem com que seja barato ir jantar fora em portugal.

Left disse...

Purpurina, infelizmente há várias profissões que são mal remuneradas.

Eu também não deixo gorjeta, só deixo se o empregado foi realmente porreirinho. E não fico com consciência pesada por não deixar.

Acho que as pessoas que deixam devem ter um pouco de "oh, mas estiveram a servir-nos..."", esquecem-se é que felizmente eles estavam a servir, pois é sinal que têm trabalho, ainda que mal remunerado.

Rachelet disse...

Sobretudo quando em Portugal há uma política inconfessa de mau atendimento. Que as pessoas sejam infelizes com o mal que lhes pagam e as criaturas malcriadas que aturam, entendo, mas eu, cliente pagadora, não tenho de levar com caras de frete e empregados que raiam a (e às vezes pisam o risco da) falta de educação.

Se sou excepcionalmente bem servida, sim senhora, deixo gorjeta. Se sou bem servida, estão apenas a cumprir o seu dever.
Se são mal pagos? Infelizmente, nos dias de hoje, a não ser que se seja gestor de alguma empresa, todos somos - e, como dizes, a nós tradutores ninguém dá gorjetas por um trabalho bem feito, mas depressa atiram pedras quando damos bacoradas.

Maria Madalena disse...

Também não dou, finjo que sou estudante(mas de mim para mim, não faço nada para o provar).

Isabel disse...

Deixo sempre, fui ensinada assim, porque há pessoas que apesar de trabalharem, só recebem as gratificações que os clientes deixam e nada mais, embora ache que em Portugal isso não acontece.

utilizadores online