18 maio 2011

Do desentendimento

Não gosto quando alguém tem um acidente de carro e me dizem qualquer coisa como 'o outro condutor não se declarou culpado'. Pessoas, vamos ver aqui uma coisa: primeiro, isso quer dizer o quê? Tipo, eu bato no vosso carro por trás porque não consegui travar a tempo, saio do carro e digo 'sou culpada, assino onde?', é isso? Não é assim que funciona. Mesmo que alguém tenha consciência de que tem culpa no acidente e o diga, existe alguma declaração que possam assinar que afirme isso mesmo? Não, não existe. O que existe é a declaração amigável de acidente. E isso não é ninguém declarar-se culpado, ainda que tenha a culpa. Isso serve para descrever como aconteceu o acidente, com o desenho e outros pormenores, para os condutores fornecerem os seus dados e, quando estiver preenchida, para cada condutor entregar a sua cópia na sua seguradora. O que acontece depois é que as seguradoras decidem de quem é a culpa. Vocês até podem escrever na descrição que têm culpa se vos apetecer, mas se as seguradores decidirem que é o outro, elas é que mandam. E serem o condutor A ou o condutor B não influencia em nada o terem ou não culpa, ok? É simplesmente uma forma de denominação. Estas coisas irritam-me profundamente, ainda mais quando ouvidas da boca de pessoas que eu considerava mais ou menos cultas e informadas e instruídas.Quando vêm com essa conversa para cima de mim, eu respiro 3 vezes e tento explicar calmamente como se desenrola o processo e que isso de se declarar culpado é um mito.

4 comentários:

Trinca disse...

Maat,

Se na declaração amigável puseres uma cruz, na opção "bateu por trás", estás automaticamente a declarar-te por culpada, as seguradoras já nem decidem nada, abrem um IAS credor, entre si, e o lesado é logo ressarcido.

Trinca

Espiral disse...

E outra coisa: há lá uma perguntinha que é mais ou menos isso "considera-se responsável ou culpado do acidente?"

Já preenchi duas declarações amigaveis em que a outra pessoa era nitidamente "responsável" e "obviamente" não se deram como culpados, mas depois foram declarados responsáveis. =)

Maat disse...

@Trinca: sim, mas nesse caso é muito difícil não haver culpa, porque tens sempre de manter a distância de segurança e ainda que o outro tenha travado de repente a culpa é tua bla bla.
e o que estás a fazer nesse caso é mesmo reportar os factos que aconteceram. para alem disso, caso tenha havido alguma circunstância extraordinária, podes sempre escrevê-la na descrição pormenorizada do acidente. como eu disse, a declaração apenas pretende uma descrição do sucedido. e se bateste por trás, vais deixar de o dizer?

@Espiral: hmmm, sinceramente nunca me deparei com nenhuma declaração que tivesse essa pergunta e achava que eram todas iguais. podes ver neste link, por exemplo:
http://www.millenniumbcp.pt/multimedia/archive/00392/DecAmigavel_392140a.pdf

A Flor disse...

Eu cá não conduzo, mas uma vez assisti a um atropelamento e fiquei como testemunha. Passado uns tempos a seguradora contactou-me e pediu-me para preencher a tal ficha de ocorrência ou que é e creio que havia uma questão em que perguntava se achava que era de fulano ou cicrano. Mas como eu era apenas testemunha talvez fosse diferente.

utilizadores online