29 abril 2013

Da pobreza

Não gosto de viajar com a Ryanair. Aquilo é uma autêntica feira. Nada de deixar as pessoas irem sossegadas, a dormir, nos seus lugares minúsculos. Nada disso. Eles aproveitam todas as oportunidades para venderem. Venderem tudo. Rifas, comida, perfumes, cigarros sem fumo, cartões telefónicos, tudo. É quando viajo com a Ryanair que me lembro que sou mesmo pobre. Por tudo. Uma viagem na Ryanair não é apenas uma viagem. Não é apenas ir do sítio A ao sítio B. Aquilo deveria ser descrito como uma 'experiência', como hoje em dia está tão na moda. É uma experiência sociológica. Deviam até cobrar mais por isso. Havia tanto a dizer sobre voar com a Ryanair. Como as pessoas se amontoam nos portões para serem as primeiras a entrarem. Como depois nem deixam passar quem tem priority boarding, com a sede de chegarem ao avião muito rápido. Como ninguém paga mala de porão e tentam meter tudo numa mala de mão que às vezes nem cabe no compartimento. Como a tripulação se farta de pedir para não guardarem mochilas e casacos nos compartimentos em cima, e sim no chão sob a cadeira da frente e são completamente ignorados. Como depois ficam alguns passageiros em pé, com ar de parvos, quando os compartimentos estão todos cheios e já não há sítio para a mala de mão. Como quando o avião aterra e sabemos que vamos ter de esperar imenso até sairmos, as pessoas rapidamente se levantam do seu lugar e ficam tipo sardinhas em lata nos corredores à espera. Como os lugares são minúsculos e completamente impróprios para mais de 2 horas de voo. Havia tanto a dizer, mas não vos quero maçar. Tenho a certeza que a maioria de vós já passou pelo mesmo, pelo menos uma vez. Resta-me esperar que um dia possa andar na TAP e que me ofereçam um daquelas sandes de salmão fumado que eu odeio e um chá quente para o jantar.

6 comentários:

stantans disse...

infelizmente nunca passei por isso, já que nem para viagens na ryanair tenho dinheiro (isso sim, a verdadeira pobreza). mas adorava, era sinal que pela primeira vez na vida ia a algum lado passear :)

Maat disse...

stantans, deixa la, as poucas viagens que tenho feito sao em trabalho. tambem nao tenho andado a passear muito por ai ;)

O d’O Metro Quadrado disse...

Uma boa parte da experiência que descreveste não é específica da Ryanair, e nem sequer de low costs. TAP, Air France, you name it -- desde o amontoado no embarque (que faz com que metade das pessoas que são chamadas para embarcar primeiro embarquem em último) até ao "metro em hora de ponta" no corredor à chegada, passando pela tomada de assalto aos overhead compartments. A mala de porão pode não se pagar, mas demora tempo a chegar e pode perder-se, então continua a haver muita gente com uma mala de 10 kg (±2kg) na cabine.

O d’O Metro Quadrado disse...

P.S. Desculpa se o meu comentário te esmagou algum sonho, tipo "o Pai Natal não existe" ;-) .

O Sexo e a Idade disse...

Uma vez na Ryanair e bastou-me!!!

Framboesa (uma diva de galochas) disse...

Amen!

utilizadores online