01 outubro 2012

Da complexidade

Não gosto do cartão matriz. Sim, esses dos bancos, que tem os códigos para validarmos as transacções. Não tenho assim nenhuma razão muito forte para não gostar dele, mas não é assim especialmente prático. Porque vou ao banco online fazer qualquer coisa e depois lá esta aquilo a pedir as coordenadas. E depois lá tenho eu de ir procurar a mala, a carteira, o cartão... É muito mais fácil usar o sistema das mensagens para o telemóvel, como alguns bancos fazem. O banco envia um código para o telemóvel e já está. Podem dizer que é igual, mas há duas pequenas diferenças. O telemóvel costuma estar sempre mais perto do que a carteira (no meu caso e em muitos, provavelmente) e o código do telemóvel é so um, não temos de andar a procurar por linhas e colunas o dígito que corresponde à coordenada que nos pedem. Em termos de segurança, não sei qual será melhor, mas em termos de comodidade, certamente o telemóvel é bem mais prático.

4 comentários:

Vic disse...

Mas olha que os cartões matriz são bem seguros, uma vez que as combinações são infinitas.

Ana 100 Sentidos disse...

É mudar de banco!

Anónimo disse...

A mim acontece-me sempre ir procurar o cartão matriz, voltar para o ecrãn e introduzir os dados para então descobrir que a minha sessão já expirou e ter de refazer tuuuuudo. Como diria o Homer Simpson 'boooooooring' ;/

Maat disse...

anónimo, é precisamente esse o problema. demoro tanto tempo que às vezes a sessão expira. e depois fazer login de novo, inserir os dados... muito booooring.

utilizadores online