05 abril 2012

Da originalidade

Não gosto de inventar palavras e que depois alguém as roube. Eu não sou assim tão prepotente que ache que sou um génio que inventa palavras, calma. Mas às vezes sai-me alguma expressão que depois as pessoas que me são próximas começam a usar. Por exemplo, 'freakazóide' (sim, F., fui eu que inventei, não me queiras agora tirar os créditos) ou 'facebooker' (ou gmailer ou 9gager ou acrescentar '-er' no fim de qualquer palavra') ou então a minha mais recente invenção, dedicada especialmente aos Radiohead mas que pode ser aplicada a qualquer banda do género, a qualquer banda que, como eles, faça música 'indieprimente'. Digam lá se não é espectacular? O que me aborrece é que depois as pessoas começam a usar estas palavras e esquecem-se que fui eu a origem delas.

7 comentários:

Pusinko disse...

Não gostas de "palavras aportuguesadas" mas apostas da fusão de línguas, como em 'indieprimente'. Experimenta aplicar uma taxa de uso das tuas palavras e pode ser que ponhas o pessoal na ordem.

pedro b disse...

gayziness. esta é minha!

F. disse...

my care cup is full of emptiness

Vic disse...

Então olha lá, sabes quem inventou a palavra inventar? :)

Maat disse...

@Vic: essa é difícil. pelo que pesquisei, vem do latim 'invenire'. agora saber quem foi o senhor/a em concreto... :)

O Metro Quadrado disse...

"indieprimente" é muito bom :-) !

Anónimo disse...

Não me parece que nem uma dessas palavras seja estritamente tua, basta ver que esses recursos que referes são utilizados na linguagem da maioria dos grupos, desde adolescentes a jovens.

utilizadores online