13 dezembro 2011

Da dificuldade

Não gosto de ir ao cabeleireiro. Sim, eu sei que às vezes é preciso dar um jeito ao cabelo, mas todo o ritual de ir ao cabeleireiro chateia-me imenso. Logo à partida, o tempo de espera, que, se não marcarmos, se pode prolongar durante horas. Lavar o cabelo é a parte boa, ok. Depois cortar. Cortar é sempre difícil porque temos de decidir o que vamos fazer e não podemos fazer isto de ânimo leve. Tanto podemos sair de lá a parecer uma Jennifer Aniston ou um caniche em dias de chuva. E se corre mal, é coisa para nos estragar a vida durante semanas, enquanto o cabelo não cresce. E depois outra coisa que me chateia é sairmos de lá com aquele ar de cabeleireiro. Há uns anos, eu odiava tanto aquilo que a primeira coisa que fazia quando chegava a casa era lavar o cabelo. Agora já não faço isso, mas sou mais chata com as moças para me tentarem dar um ar mais natural e não sair de lá tipo as velhas, de cabelo levantado. Vida de mulher é difícil.

3 comentários:

Bcool973 disse...

É a primeira vez que escrevo, mas já tinha cá vindo algumas vezes e noto que continuas com um mau feitio do catano, ou então apenas usas o blog como um momento catártico (será que a palavra existe ?). Seja como fôr, era só para dizer que acho-te piada e perguntar o que raio é isso de panikes ?

Maat disse...

both! tenho mau feitio e descarrego tudo aqui :)
panikes são aquela iguaria contituída por massa folhada e chocolate/creme de ovo/fiambre/queijo/misto.

http://panike.pt.panikexpress.com/img/produtos/01_panikes/08_napolitanas/panike_chocolate_grd.jpg

volta sempre**

Isabel disse...

Eu vou ao cabeleireiro uma vez por ano. Se for um ano muito louco sou capaz de lá pôr os pés duas vezes. Os motivos são o tempo de espera e o dinheiro que gasto, que acho sempre que é demasiado para aquilo que faço (lavar, cortar e esticar). Como já tenho uma placa para alisar em casa, é possível que venha a reduzir ainda mais as minhas idas ao coiffeur.

utilizadores online