26 abril 2011

Da liberdade

Não gosto do 25 de Abril. Já sei que me vão queimar na fogueira, mas acho que a liberdade a mais também é um problema. Não digo para voltarmos ao tempos do Salazar, mas para haver mais mão de ferro e não a permissividade excessiva que há em tudo hoje em dia. Se calhar ajuda eu ter sido assaltada precisamente num 25 de Abril. Ironias da vida. Mas por isso, não é feriado que eu goste de festejar.

5 comentários:

Vegan Wolf disse...

*deixa estar que somos dois a arder*

Pinkk Candy disse...

sendo assim já somos 3 a arder...

Anónimo disse...

Mas acha mesmo que no Estado novo não havia assaltos?

Já viu a liberdade que tem de dizer as idiotices que quer, como por exemplo, dizer que não gosta de Liberdade?

"acho", diz. Somos um país de achadores.

Maat disse...

a diferença era que se apanhassem as pessoas, elas não vinham embora, como se nada se tivesse passado. vão à esquadra, identificam-se e 'vá la pra casa que não estamos para muitas chatices'. havia duros castigos, com os quais eu concordo.
para você ver as parvoíces que eu posso dizer, eu até achava que se podia cortar o dedo mindinho aos ladrões, assim como uma espécie de aviso. à segunda era a mão direita, como nos velhos tempos. e depois queria ver se havia tanta vontade de fazer merda como há hoje em dia.
mas viva o meu blog, já tenho anónimos que me insultam, é praticamente como se recebesse hate mail! estou a ficar importante :)

Left disse...

concordo plenamente com o que dissest Maat. É tal e qual.

utilizadores online