02 fevereiro 2011

Da preguiça

Não gosto quando vou a uma loja de roupa e vejo alguma coisa que gosto mas não tem o meu número. Então dirijo-me à funcionária que está mais perto e peço para verificar se tem a peça no meu número. É então que vem a típica resposta: 'só temos o que está exposto'. Isto tira-me do sério. Até pode ser verdade, mas em 95% dos casos, só não querem ter o trabalho de ir ao armazém ver se há. Claro que eu não posso fazer nada, mas a minha vontade era pegar nelas pelas orelhas e arrastá-las até ao armazém, para ver mesmo se há ou não. O mínimo que podem fazer é fazer de conta que vão. Até podem abrir a porta e ficar lá atrás tempo suficiente para eu acreditar que foram, tempo esse que podem aproveitar para enviar uma sms, dar um jeito cabelo, pensar na vida ou outra coisa qualquer, que eu nunca vou saber. Agora dizerem logo que só há o que está exposto, com aquele ar de desprezo, não é muito profissional da parte delas.

4 comentários:

Paulo disse...

Peças de fim de colecção costuma acontecer isso; de nova colecção também se for de venda rápida. Prefiro assim, ao menos não me fazem perder tempo à espera.

Rafa disse...

Adorei, adorei este texto. É tão visual, sabes? Tou a imaginar pegar as funcionárias da Zara pelas orelhas, arrancando uma ou duas extensões de cabelo até e levá-las até ao armazém para que elas vejam com "olhos de gente" se há mais peças.
Muito bom :)

Maat disse...

ehehehehehe
e depois encontrar uma pilha enorme de camisolas M e dizer com ar chateado: então, havia ou não havia, hã?

Me,myself & I! disse...

Isso é tão irritante,meu Deus!

utilizadores online