07 janeiro 2011

Da snobice

Não gosto de pessoas que compram animais. Sejam de raças boas ou menos boas, caras ou baratas, isso para mim não faz qualquer sentido. Os animais não são camisolas, que vamos a uma loja e escolhemos a que gostamos mais e fica melhor com as calças. Os animais são seres vivos. Não raciocinam, supostamente, mas às vezes acho que são mais espertos que bastantes pessoas. Não têm sentimentos, como pena, melancolia, preocupação, mas eu acho que sentem tristeza e alegria, e para mim, são mais humanos que muitas pessoas. Por isso, não diferencio animais de raça e rafeiros, para mim são todos animais, que só precisam que alguém goste deles e lhes dê carinho. E não consigo compreender como havendo tantos, mas tantos animais abandonados, a precisarem de donos que os acolham, há pessoas que dão dinheiro, balúrdios em muitos casos, para terem um animal de uma raça qualquer, só para mostrarem que o deles é mais bonito que o do vizinho. Atenção que não tenho nada contra animais de raça. Se forem dados, são como os outros todos. A questão do dinheiro é que me incomoda.

9 comentários:

A.na disse...

Não podia estar mais de acordo contigo, especialmente no que diz respeito a cães e gatos. Nunca me passaria pela cabeça adoptar um réptil lol as minhas duas gatas têm histórias diferentes: uma foi-me dada e a outra recolhi da rua. A que me foi dada é cruzada de siamesa e é bué louca lol a outra é toda cinzenta e é LINDA; quando fui ao veterinário com ela (já lá deixei horrores de dinheiro) descobrimos que alguém enfiou no pobre animal sete chumbos sete. Actualmente ambas estão óptimas, esterilizadas e são tratadas como rainhas nesta casa, dormem connosco, são as nossas meninas.

Conheci uma pindérica duma horrorosa duma puta (sorry) duma tia de merda que comprou um persa (sei lá) e rapou o animal qdo comprou casa nova por causa dos sofás. Por causa dos sofás!

Por isso.... concordo a 100% contigo. Não passa de snobice para dizerem que têm um animal de raça. De "raça". Parecem espécies de Hitler...

Paulo disse...

À parte a snobice por comprar animais, também não percebo porque não se pega num abandonado, em tanto canil por aí. Tenho 4 cães e cada um tem a sua personalidade, e sim, têm dias que estão mais tristes e/ou mais alegres. Depois de muito tempo com o animal percebe-se isso, porque ele não é apenas um adorno combinatório lá da casa.

Maat disse...

A.na, tenho uma amiga que comprou um persa, deu montes de dinheiro por ele (eu fui sempre contra, claro) e o pobre bicho morreu passado nem meio ano porque tinha problemas respiratórios. agora tem um gato refeirinho que anda lá cheio de saúde e energia. por isso, não pensem que os animais de raça são melhores que os restantes.
e para a besta que atirou sete chumbos à tua gatinha, espero que um dia leve com outros tantos no traseiro.

Paulo, eu tenho uma cadela e uma gata. a minha gata era vadia e eu acabei por a conquistar, a minha cadela andava pela minha rua ate ser atropelada, eu recolhi-a e cuidei dela. hoje são membros da família. andam sempre pegadas, mas no fundo gostam uma da outra. e eu acho que a alegria de saber que salvei dois animais é imensamente maior que ter um animal de qualquer raça.

Tolan disse...

Eu concordo contigo, sempre tive cães abandonados / dados (eu não, os meus pais, em boa verdade). E o que custou mais foi quando cadelas tivemos ninhadas e não podemos ficar com todos. Até temos uma de raça labrador mas foi dada. Contudo, quanto a isso de pagar, há pessoas que têm uma paixão por raça x ou y e às vezes não é bem snobismo, engraçaram com aquele tipo de cão em particular. Eu cá, apesar de preferir rafeiros em geral pela diversidade de feitios e formas, tenho de admitir que a labrador retriever com pedigree que nos foi dada tem uma inteligência emocional enorme e traços que são característicos dos labradores, como a afabilidade, a inteligência, a paciência etc. :) as minhas rafeiras são todas meio malucas, a labrador por outro lado tem mais maturidade e inteligência emocional do que eu por exemplo.

kiss me disse...

Eu tenho uma persa que me foi oferecida (oferecida por alguém que teve uma ninhada de persas, não por alguém que gastou dinheiro para me dar a gata) e é verdade que os persas têm muitos mais problemas de saúde (a minha, no entanto, já tem 11 anos e anda muito fresquinha).

Depois tenho mais 2 gatas e uma cadela que tirei da rua, as duas gatas estavam mesmo em mau estado. também fico muito orgulhosa por saber que graças a mim há menos 3 animais abandonados infelizes. tenho muita pena dos animais de "raça" que estão nas lojas a um preço exorbitante mas esses sei que alguém muito snob e muito chique há-de um dia ir lá buscá-los. Aos canis são poucos os que vão.

Rapunzel disse...

Concordo plenamente! Eu fiquei com o meu gato através de um site de adopção de animais :)

Lâmpadinha disse...

Não ligo a raças nos animais. Tenho dois gatos, uma "rafeira" e um persa, e o persa foi comprado, mas não foi nada do estilo "ah vamos ali à loja comprar um persa que é mais bonito". Foi, num dia de Verão, passarmos pela loja de animais e uma menina (eu) de seus 8/9 anos apaixonar-se pelo gatito e houve ali uma empatia que o tive logo de trazer para casa. Gastei um balúrdio do meu dinheiro, das minhas pequenas economias, porque me afeiçoei de tal maneira ao gato, logo ali naquele instante, que não houve volta a dar.
A outra comprámos por um preço pacato, devido à paixão instantânea do meu irmão mais velho por ela. E só foram comprados porque os animais de rua traziam algumas complicações dado que havia 3 crianças na casa, e convinha os animais serem mais dóceis..
Desculpa o testamento.

Framboesa disse...

concordo 100%
O meu marido até diz que se tivessemos um cão, ía ser o mais feio e doente do canil...e tem razão...

Rachelet disse...

Além de estarem a sustentar com essa atitude toda uma indústria de exploração de criação de animais (ou pensam que eles andam a correr e a procriar felizes em quintas verdejantes?). Aliás, é porque muitas vezes se recorre ao apuramento da raça pela consanguinidade repetida que os animais depois têm problemas sérios de saúde.
Os rafeiros são um óptimo exemplo do darwinismo e da capacidade de sobrevivência do mais apto.

Só não concordo com uma coisa: os animais têm sentimentos e capacidade de raciocínio. Assim se explica animais que deixam de comer quando os donos os abandonam ou morrem e assim se explica que sejam capazes de proezas excepcionais.

utilizadores online