20 janeiro 2011

Da publicidade II

Não gosto do Citibank. Acho que ninguém gosta, aliás. Acho mesmo que posso dizer que é o banco mais odiado pelo público em geral (sem contar com BCP e outros bancos do género que ficam com o dinheiro das pessoas, porque alguém de dentro roubou o dinheiro dos clientes para ir passar férias permanentes ao Brasil). Não conheço ninguém que tenha conta lá, mas eventualmente deve haver, senão já tinham ido à falência. Aquela estratégia de abordar as pessoas no shopping é uma das piores de todos os tempos. Obrigam as pessoas a fazerem um desvio no seu percurso para nem sequer se cruzarem com os enviados do demo que trabalham lá. Ou então fingir que se fala ao telemóvel. Ou então passar a correr. Ou então esperar pela altura certa, quando estão a abordar a pessoa que vai à nossa frente, e acelerar o passo para não virem atrás de nós a seguir. Ou então passar por eles e ignorar, caso venham mesmo abordar-nos. Odeio-os.

6 comentários:

Ega disse...

Eu, por acaso, até tenho pena deles.

Primeiro, porque me obrigam a proceder como precede a Maat (fingir, ignorar, mentir), e como toda a gente que lá passa. E isso não é bom.

Segundo, porque apesar da abordagem deles, nunca vi lá ninguém a falar com eles mais do que 15 segundos, e muito menos assinar contratos bancários.
Essa gente deve receber à comissão certamente, e pelo que vejo, devem ganhar muito pouco.

Terceiro, porque apesar dessa gente esforçar-se por meter uma cara entusiasmada, simpática, e feliz, nota-se perfeitamente que explodem de desejo de rebentar com a banca toda a pontapé e fugir dali de seguida a sete pés. Alguns têm uma expressão tão suplicante e desesperada no olhar, que até fico perturbado.

Por isso, metem-me pena. Tanta que já pensei em aceder a falar com eles uns minutos só para lhes dar uma pequena alegria. Pelo menos, já não lhes corria mal o dia.

Ta' disse...

Uma dica: diz que és estudante que eles mandam-te logo embora ;)

Isabel disse...

Também tenho pena... A minha estratégia é outra, serve para o citibank, para o barclay card e para aqueles brasileiros que me querem ver as unhas no centro comercial: "Já tenho. Obrigada!", dito com um grande sorriso e com um tom de voz de quem diz realmente a verade.

Rita Maria disse...

Na verdade o Citibank também fica com o nosso dinheiro. A Manuela Ferreira Leite qdo era ministra vendeu-lhes as dívidas dos conttribuintes portuguesas a preço de saldo para acertar o défice, mas depois muitas dessas dívidas afinal não existiam mesmo, eram erros das finanças, e agora temos de pagar essas também.

Poetic GIRL disse...

É isso e os do barclays que estão sempre a ligar para o telemóvel, ainda gostava de saber onde arranjam os contactos... bjs

Sofia P. disse...

Eu também não gosto dessas abordagens, mas como esses NUNCA me abordaram (devo ter cara de quem não ganha dinheiro) são-me indiferentes.

utilizadores online